Dica nº 1 – não contrate ninguém

A primeira dica vai deixar muita gente furiosa, mas é a seguinte:

NÃO CONTRATE NINGUÉM

Ora, naturalmente há excepções à regra. A ideia é muito cuidado ao contratar.

Primeiro, pense bem qual o custo real do empregado.

Em Portugal, além do salário, terá de paga:

  • Segunça Social
  • 13º salário (subsidio de férias)
  • 14º salário (subsidio de natal)
  • 15º salário (indemnização por despedimento)
  • custos indiretos, inclusive com os relatorios idiotas que o governo lhe obriga a fornecer todos os anos (entre eles o “relatório único”, que não é único…)

Portanto, o custo final do empregado é muito maior do que parece à primeira vista.

Outro problema é que para despedir é super difícil. Você tem de ter justa causa para despedir. Imagine que a empresa está a passar uma fase difícil. Você não pode despedir simplesmente. Somente depois de muitas idas e vindas à ACT e diversas visitas de inspeção é que conseguirá despedir o funcionário. Mesmo que não tenha trabalho para ele, não conseguirá despedir…

Só contrate quando tiver realmente condições de contratar.

 

Leave a Reply